Arquivo do mês: agosto de 2010

Congresso Brasileiro de Turismólogos

http://turismologos.org.br/
Continue lendo

Publicado em EVENTOS, TURISMO | Com a tag , | Deixar um comentário

A culinária paraense para o mundo

Documentário mostra que a cozinha paraense tem inspirado chefs no Brasil e no exterior
Muitas vezes, para encontrar o novo é preciso uma mudança de perspectiva. É esta a lição que o mundo da alta gastronomia aprendeu ao incorporar elementos da culinária paraense aos seus pratos. É açaí virando sabor de sorvete da multinacional Häagen-Dazs; é chef de restaurante cinco estrelas de São Paulo reinventando receitas típicas da região; é a comida paraense alçada ao patamar de nouvelle cuisine na França. Depois da música, é na culinária que o Pará vem despontando como a bola da vez.

Em sintonia com essa espécie de zeitgeist (conceito oriundo do alemão que retrata o clima cultural de uma época) alimentar, está sendo produzido o documentário “Tucupi à Francesa”, dirigido pelo paulista João Daniel Donadeli. A equipe de produção da TV Cultura de São Paulo, que esteve em Belém durante uma semana, investiga a influência da culinária francesa na culinária paraense. Mas como o próprio diretor admite, a história está tomando o caminho inverso.

“Hoje em dia é a gastronomia local que vem influenciando a cozinha internacional. A França, como vanguarda nesse processo, vem sendo muito influenciada pela cozinha do Norte do Brasil. É quase irônico, mas grandes chefs de cozinha estão se voltando para Belém em busca de autenticidade, de originalidade, dando sofisticação a esses produtos que outrora eram desprezados e hoje se elevam ao patamar de iguarias”, explica Donadeli.

O filme faz parte de uma série de cinco documentários franco-brasileiros realizados pela tevê pública paulista a respeito da influência da França no Brasil. E é justamente na gastronomia que os dois países apresentam maior afinidade.

“Na França existem muitos movimentos gastronômicos, que acompanham o ‘boom’ gastronômico mundial, e isso acontece com grande força no Brasil pela nossa diversidade, até pela nossa extensão territorial. É daí que parte o conceito de terruá, uma postura quase filosófica em relação à gastronomia”, diz Donadeli.

Surgido nas vinícolas europeias, o termo francês terroir, que designa um tipo de solo ideal para a produção de vinho, hoje em dia se expandiu e rompeu as fronteiras da língua. Em todos os sentidos. Incorporado ao vocabulário gastronômico brasileiro como a corruptela, quase que acaboclada, de terruá, o conceito abrange um movimento gastronômico que consiste em se voltar à cozinha de cada região, explorando principalmente a potencialidade dos ingredientes locais. E em se tratando de diversidade de ingredientes e originalidade na composição de pratos, o Pará sempre se mostrou expert no assunto.

ORIGINALIDADE
Aproveitando a abundância de ingredientes presentes na floresta amazônica e contando com a forte influência da cultura indígena, a cozinha paraense deu origem a pratos que chamam a atenção pelo exotismo e paladar único, como o pato no tucupi e a maniçoba.

“Para quem é do Sul, as coisas daqui são muito exóticas. A impressão que se tem é que o Pará é um lugar à parte do resto do país. A cada volta no Ver-o-Peso, se descobre uma coisa nova. Mas é o contrário: exótico mesmo deveria ser aquilo que vem de fora”, observa o diretor, em uma volta pelo maior mercado livre de Belém.

Entretanto, esse olhar de deslumbramento é justamente a base de sucesso do terruá paraense. Donadeli aponta como o início desse processo de reconhecimento da culinária paraense no exterior a ida do chef de cozinha paraense Ofir Oliveira, que no final da década de 1980 mudou-se para Paris e apresentou a maniçoba ao paladar estrangeiro.

O trabalho pioneiro de Ofir repercute até hoje. Tanto na possibilidade de experimentação para chefs locais, como Paulo Martins, quanto para o atual fetiche pela comida amazônica, iniciada pelos franceses e copiada pelos chefs do eixo Rio-São Paulo. Alex Atala, por exemplo, dono do restaurante D.O.M., em São Paulo, converteu a atual geração de restauranters à nova ordem gastronômica vinda do Norte. Vale lembrar que o restaurante de Atala foi eleito este ano o 18º melhor do mundo pela revista britânica Restaurant.

“Minha comida é esquisita”
“O exotismo tem que ser usado a nosso favor”, afirma Ofir Oliveira. “Temos que assumir nossa diferença, pois essa é a fonte da nossa originalidade. Tem muito chef de cozinha de fora que pensa que sabe mais do que a gente. Essa moda da culinária regional é lugar-comum. Se engana quem pensa que para fazer comida paraense basta despejar um tucupizinho no prato”, diz o mestre de cozinha, que propõe uma culinária regional quase xiita.

Na década de 90, Ofir montou um restaurante, ou melhor, um centro de produção gastronômica e cultural, como ele mesmo define, no quintal de sua casa, no bairro do Tapanã, periferia de Belém, onde coloca os ingredientes amazônicos como prato principal de suas experimentações. “Minha comida é esquisita”, defende.

“De simples a sofisticado”
“Ainda se ridiculariza a culinária local”, afirma o chef Fábio Sicília. Para apresentar a potencialidade dos sabores da região como atrativo turístico, ele foi consultor do Festival Gastronômico Paraense, parte da 5ª Feira Internacional de Turismo da Amazônia (Fita), que aconteceu entre os dias 12 e 14 deste mês, em Belém.

A ideia dos organizadores era mostrar o que há de destaque no interior do Estado, separando as atrações em jantares temáticos divididos de acordo com as seguintes regiões: Amazônia Atlântica, Marajó e Araguaia Tocantins. O evento ainda promoveu a profissionalização dos cozinheiros das comunidades, através da troca de experiências com o chef de cozinha italiano Fabrizio Innocenti, convidado para ajudá-los na montagem e apresentação dos pratos. Mesmo sendo inovadora, a ideia não agradou a todos.

“Sofremos resistência. Queríamos instigar, propor o que é novo. Ofereci uma sopa de turu (molusco típico da região amazônica, com a aparência de um verme, que se alimenta de troncos apodrecidos), e o trade turístico, que reúne os empresários do setor, não quis se envolver. Eles boicotaram o evento. Não quiseram partir do simples, do típico. Em vez de ir atrás do turu, querem começar com caviar. Um erro grave, porque foi justamente o turu que mais chamou a atenção da imprensa de fora”, desabafa.

Talvez a grande lição do Festival Gastronômico Paraense foi incutir no público local o mesmo olhar de deslumbramento de quem vem de fora. Um dos grandes achados do evento foi a apresentação, no dia 12, da bebida especial à base de cana e ervas – e com supostos poderes curativos -, produzida pelos remanescentes de quilombos do município de Moju, localizado a 61 km de Belém.

Batizada de “emu”, a bebida foi oferecida aos participantes após um ritual místico, envolvendo 28 pessoas de São Sebastião de Larangituba. Entre elas, estava o rei da comunidade, Albertino de Moraes, 63 anos.

De gosto forte e adocicado, a bebida feita de ervas, cascas de árvore, folhas, sementes e cana-de-açúcar passa por um processo de fermentação que dura doze dias. De acordo com Albertino, a “emu” serve para tratar problemas de estômago, podendo curar inclusive úlceras. “Serve para saúde e divertimento”, garante.
FONTE: Diário do Pará

Postado por Catarina Costa no Turismo: de tudo um pouco em 8/18/2010 10:32:00 PM
Continue lendo

Publicado em RELATOS, TURISMO | Deixar um comentário

XIV FEIRA PAN-AMAZÔNICA DO LIVRO

27 de agosto a 05 de setembro de 2010
Diariamente, de 10h às 22h

HANGAR – CENTRO DE CONVENÇÕES E FEIRAS DA AMAZÔNIA
(Avenida Dr. Freitas com Brigadeiro Protásio)

ENTRADA FRANCA

ÁFRICA Que Fala Português
Angola, Cabo Verde, Guiné Bissau, Moçambique e São Tomé e Príncipe

Baixe aqui a PROGRAMAÇÂO COMPLETA

Baixe aqui a FICHA DE INSCRIÇÃO
Continue lendo

Publicado em EVENTOS, NOTICIA DE TURISMO | Com a tag , | Deixar um comentário

O VI Turismo em Debate

O VI Turismo em debate acontecerá nos dias 16, 17 e 18 de setembro de 2010 e a temática proposta é: Potiticas Publicas: Turismo, esporte e lazer.
Mais Informacões visitem o Blog do evento
http://viturismoemdebate.blogspot.com/

PROGRAMAÇÃO:
Dia 16 de set. (Quinta – feira):
–8h Credenciamento
– 9h Cerimônia de Abertura
-9h30 Conferência de Turismo
10h20 Mesa Redonda – Tema: Turismo e Esporte
12h as14h – INTERVALO
14h30 Apresentação de banner
15h Apresentação de trabalhos (oral)
16h30 – Apresentação Cultural

Dia 17 de set. (Sexta – feira):
8h30 Mesa Redonda: Tema: Políticas Públicas e Lazer
9h30 Oficinas:
Oficina 1: Dinâmicas de integração em viagens de turismo.
Oficina 2: Trilhas ecológicas
12h as 14h – INTERVALO
14h30 – Apresentação de Trabalhos
14h30 – Oficinas

Dia 18 de set. (sábado)
08h Mesa Redonda – Políticas Publicas em turismo no Estado do Pará.
9h30 Palestra de encerramento
10h30 Apresentação Cultural
11h Brunch

As inscrições serão realizadas no Escritorio Modelo de Turismo a partir de segunda-feira, 16 de agosto de 2010

TAXAS:
Estudantes: R$10.00
Apresentação de Trabalho:R$15.00
Bachareis e Profissionais:R$20.00
Oficinas:R$20.00

FONTE: http://viturismoemdebate.blogspot.com/
Continue lendo

Publicado em EVENTOS, NOTICIA DE TURISMO, TURISMO | Com a tag , , , | Deixar um comentário

O Fórum Amazônia Sustentável é um dos apoiadores da II Conferência Latino Americana do RSPO

FÓRUM AMAZÔNIA SUSTENTÁVEL APÓIA A II CONFERÊNCIA LATINO AMERICANA DO RSPO
Beto Veríssimo e Rubens Gomes representarão o Fórum em dois painéis no evento que discute o crescimento sustentável da produção do óleo de palma.

O Fórum Amazônia Sustentável é um dos apoiadores da II Conferência Latino Americana do RSPO que acontecerá na Estação das Docas, em Belém (PA) entre os dias 24 e 27 de agosto. Promovida pela RSPO (Roundtable Sustenable Palm Oil), entidade que congrega a cadeia produtiva do óleo de palma no mundo, o evento pretende realizar uma grande mesa redonda acerca de práticas sustentáveis de produção do óleo de palma.
As palestras e os debates acontecem nos dias 25 e 26 de agosto e contam com especialistas do setor de óleo de palma, desenvolvimento sustentável e política ambiental. O Fórum será representado por Beto Veríssimo (Imazon) e Rubens Gomes (GTA).

Beto Veríssimo, do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) e membro da Comissão Executiva do Fórum, participará no dia 25 do painel “Amazônia: desafios e oportunidades para o desenvolvimento sustentável”. O pesquisador abordará os desafios para a sustentabilidade da Pan-Amazônia em uma mesa que pretende apresentar um panorama da região e identificar alternativas para a sustentabilidade social, ambiental, econômica e fundiária.

Rubens Gomes, do Grupo de Trabalho Amazônico (GTA) e também membro da Comissão Executiva do Fórum, participará no dia 26 do painel “Desafios e oportunidades sociais”, quando apresentará uma visão socioambiental da Amazônia ao lado de painelistas que apontarão a perspectiva de diferentes atores presentes na região. O objetivo é discutir o modelo de desenvolvimento possível a partir dos atuais desafios impostos à Amazônia.

Com participação de representantes de todos os países produtores de palma no mundo e stakeholders da Europa e Estados Unidos, o evento promete ser um sucesso. Informações e inscrições pelo site www.rspolatinamerica2010.com

……………………………………………………………………………………………………………….
RSPO – Roundtable on Sustainable Palm Oil (www.rspo.org)
Fundada em 2004, a RSPO objetiva promover o crescimento sustentável da produção do óleo de palma através de uma regulamentação mundial. A organização não tem fins lucrativos e congrega toda a cadeia produtiva do óleo de palma e interessados. Sua sede fica em Zurique, na Suíça, e a secretaria é baseada em Kuala Lumpur, na Malásia.
A RSPO reúne 336 sócios ordinários de 37 países, sendo: 7 bancos e fundos de investimento, 64 produtores de bens de consumo, 11 ONGs ambientais, 8 ONGs sociais, 21 cadeias internacionais de supermercados, 127 processadores e traders e 83 plantadores. Até o momento o RSPO já certificou 315.628 hectares que respondem a uma produção anual de 1,58 milhões de toneladas de óleo de palma e 324 mil toneladas de óleo de palmiste sustentáveis.
…………………………………………………………………………………………………………………………..

Fórum Amazônia Sustentável
O Fórum Amazônia Sustentável foi fundado em Belém (PA) em novembro de 2007 e atualmente conta com 211 associados. Por ser um movimento democrático e intersetorial, o Fórum se propõe a discutir e elaborar uma agenda para a promoção do desenvolvimento sustentável na Amazônia. Para isso, cria espaços de debate para envolver pessoas de diversos segmentos, entre eles, indígenas, quilombolas, seringueiros, sindicalistas, trabalhadores rurais, empresários, pesquisadores e governantes. O Fórum prioriza a formação de uma cultura em favor da sustentabilidade, a construção de compromissos de boas práticas produtivas e o apoio ao desenvolvimento sustentável. Para saber mais: www.forumamazoniasustentavel.org.br
…………………………………………………………………………………………………………………………..
Serviço
II Conferência Latino Americana do RSPO
Local: Estação das Docas, Belém – PA.
Data: – 24 e 27 de agosto – Visitas técnicas
– 25 e 26 de agosto – Conferência

Continue lendo

Publicado em EVENTOS | Com a tag , , , | Deixar um comentário